.essa gente que causa um efeito diferente na gente.

Tem gente que a gente vê todo dia.
Gente que a gente olha a cara daquela gente o tempo todo e acaba por decorar,
aquele rosto, daquele gente repetida,
gente que a gente olha, mas nem liga.
Gente que a gente dá um bom dia,
relaxado,
que seria até melhor se a gente ficasse calado.

Mas tem gente que a gente vê um ou dois dias.
E é essa gente que consegue mudar nossas vidas.
seja lá na amizade ou no amor.

– Ozzim, L.

Anúncios

.loucuras.

“Gosto dos venenos mais lentos!
Das bebidas mais fortes!
Das drogas mais poderosas!
Das idéias mais insanas
Dos pensamentos mais complexos
Dos sentimentos mais fortes.
Dos cafés mais amargos!
Tenho um apetite voraz.
E os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco
que eu vou dizer:
E daí? Eu adoro voar!”
(Clarice Lispector)

Maluco, doido, pirado! Mas vou te contar um segredo: as melhores pessoas são assim. (Do filme, Alice no País das Maravilhas)

– Ozzim, L.

.mudanças.

E aí você percebe que o que você fazia bem, você não faz tão bem assim.
O que você torcia pra dar certo, rezava pra dar certo, não faz tanta impotância assim.
Por algum motivo um caminho que você achava que era o CERTO pra seguir sem duvida alguma, não é mais tão certo assim, e então olhando pro lado percebe que tem outros caminhos, te levando a outro por do sol.
E o que nem tinha tanto a sua atenção, é a sua prioridade agora.
Os gostos mudam, você muda, os caminhos mudam, e a sua vida muda junto com isso tudo, mesmo não querendo.

o mundo vai girar, você estando pronto ou não!

e eu não paro de questionar, sobre as voltas que a vida dá e em como tudo mudou, de uns tempos pra cá, em como tudo mudou e sempre vai mudar.

– Ozzim, L.

.o amor apenas TENTA ser descrito.

Acho relamente que as pessoas nunca sabem REALMENTE o que sentem, só tem um ACHAR do que está rolando por dentro, mas SABER, ninguém sabe.
Só sente.
Mas também não é preciso saber, é preciso sentir. E só.
O que eu estou dizendo é que: você sente e PENSA ‘estou sentindo tal coisa‘, que tem um nome ‘amor‘ ou ‘paixão‘, mas nunca sabe explicar o que é nem como é.
E então você demonstra, com palavras, com elogios, com presentes, aneis, frases de música, com cartas ou buquês de flores.


Apenas uma TENTATIVA de dizer o que está acontecendo dentro de você por causa da pessoa, transformando tudo em palavras: como é sensacional estar perto dela, o quanto te faz bem, mas não explica o amor que sente ou a paixão que sente, você tenta, mas nunca é algo exato e concreto.
E mesmo tentando, a maioria das explicações não vão chegar aos pés de um olhar, não precisam de palavras, um olhar ou um gesto basta.
E quer saber? A REAL mesmo é que nenhum ser humano NO MUNDO até hoje conseguiu explicar o que é realmente o amor ou a paixão.

– Ozzim, L.

.re[stop]play.

O pior da vida é não ter replay nos melhores momentos.”

E por não ter, a gente mesmo tenta reprisar, fechando os olhos e abrindo algumas gavetas empoeiradas das recordações.
Na maioria das vezes vicia-se nisso! e você fecha TANTO os olhos que vive no mundinho da sua memória esquece de programar a opção ‘stop‘ na sua camera imaginável, esquece que existe um botão chamado ‘play‘, mas que só funciona com os olhos abertos para o mundo.

– Ozzim, L.

.o fim.

Triste quando chega ao fim, mas o mais triste é COMO chega ao fim.
Porque na maioria das vezes cada um vai pro seu lado e ZÁS! quando você vai olhar pra trás, não sobrou mais nada.
Nem as cinzas… tudo vira fumaça e desaparece.
O bom é quando acontece o contrário.


Uma pessoa tenta pelo menos juntar os cacos de um vaso que quebrou, tendo quase certeza que iria ser só ela fazendo aquilo, mas ao levantar a cabeça vê a outra pessoa ajudando a colar o que sobrou de tudo.
É CLARO que ficam as cicatrizes da colagem, mas nada que o tempo não vá consertar – não totalmente.
E sempre, SEMPRE eles vão tentar enxergar as cicatrizes e autamaticamente lembrar o que gerou essas marcas.
Esses são só mais dois erros que qualquer ser humano comete.
Inão tentar juntar o que se fez em mil pedaços.
II – sentir arrependimento ao olhar as marcas que ficaram.

– Ozzim, L.

.banho de chuva X negatividade.

Tome um banho de chuva e sinta a sensação.
Não é uma sensação de só pensar pelo lado ‘porra, tô enxarcado‘, mas uma sensação de ‘lavei a alma!’
Saia de casa numa pancada de chuva, e deixe que a água espanque e nocauteie todas as energias ruins do seu corpo e leve com ela, toda a negatividade, deixando tudo o que é ruim estirado no chão, junto às poças de água.
NÃO é permitido olhar pra trás e nem ver o seu reflexo nessas poças!


Abra os braços, corra, sinta a liberdade, e SIJOGUE nessa sensação única que só essa água violenta traz…
Mas pense que ela não é violenta com VOCÊ mas com toda vibe negativa que te atormenta.
E quando estiver debaixo das tenebrosas nuvens negras, tudo ficará tão claro pra você, seu corpo ficará tão mais leve, mas vai chegar a hora das nunvens se abrirem e o sol te cumprimentará, para você dizer à ele e ao tempo ruim que passou:
Até a próxima, tempo bom!’

– Ozzim, L.